Abu Dhabi, EAU

Localizada no emirado que lhe dá o nome, Abu Dhabi é a capital e o maior (e mais rico) dos sete emirados que compõem os Emirados Árabes Unidos. Quando planeio viagens, poucas coisas me deixam mais excitado do que uma cidade interessante perto da cidade onde estou a ficar – uma cidade que eu possa visitar sem passar a noite, basicamente. Abu Dhabi, localizada a um par de horas de autocarro do Dubai, é uma dessas cidades.

As minhas expectativas não eram altas. Verdade seja dita, Abu Dhabi não é propriamente o tipo de sítio onde haja muito a acontecer. A cidade em si é muito menos caótica que o Dubai e o ar, de certa forma, menos poluído e mais respirável. As avenidas são largas e compridas, ladeadas de prédios altos e desinteressantes. O trânsito, apesar de presente, é ligeiro em comparação ao do Dubai.

Trânsito numa das avenidas principais da cidade.

Uma das coisas que salta rapidamente à vista é que apesar de pequena, Abu Dhabi é uma cidade que apresenta alguma coesão no seu planeamento; desde quarteirões bem definidos a passeios largos e espaços verdes quase ao virar de cada esquina. É, no entanto, uma cidade com poucas atracções para além dos centros comerciais e arranha-céus vistosos e dificilmente justifica uma paragem prolongada.

Decidido a aproveitar ao máximo a minha curta visita, calcorreei um dos passeios preferidos dos habitantes da cidade: o Corniche. É um percurso agradável, sem grandes truques, que percorre vários quilómetros junto à praia até chegar à pouco excitante marina, onde um centro comercial toma conta da paisagem. Confesso que a costa do Golfo Persa não me convenceu por aí além; as praias são largas, mas o calor insuportável (e a constante neblina que ele provoca) deixa de lado qualquer vontade de ficar a torrar ao sol.

Uma das praias de Abu Dhabi, vista do longo Corniche.

Ao fim do dia enfiei-me num táxi em direcção à Mesquita Sheikh Zayed. Esta vistosa mesquita, a oitava maior do mundo, é totalmente construída em mármore e delicadamente ornamentada – o que a torna num ponto de paragem obrigatório numa visita a Abu Dhabi. As cúpulas, minaretes e colunas que a adornam e os largos corredores iluminados por monstruosos candeeiros decorados com cristais Swarovski dificilmente deixarão alguém indiferente.

Ter chegado à mesquita um pouco antes da ‘hora dourada’, o pôr-do-sol, deixou-me com tempo suficiente para explorar os vários corredores e átrios antes do espectáculo que é o anoitecer começar; as luzes (em tons de laranja e azul) acendem-se e, lentamente, o contraste do branco das paredes contra o cair da noite atribui-lhe uma imponência para além de majestosa. Aos poucos, o céu engole o que resta do dia, deixando-nos na presença de um momento tão único como o local.

A majestosa Mesquita Sheikh Zhayed.

Abu Dhabi tem pouco mais para oferecer, diga-se. Gostava de ter bebido um cappuccino salpicado com flocos de ouro 24 quilates no Emirates Palace, mas acabei por não o poder fazer por… não estar vestido ‘adequadamente’! Também gostava de ter visitado o Ferrari World e andado na montanha-russa mais rápida do mundo, mas o preço elevado da entrada no parque não o justificou. A mesquita, no entanto, fez com que a curta viagem desde o Dubai valesse definitivamente a pena!

Sem comentários

Comentar